Seleção acorda no 2º tempo e vence Equador na ‘estreia da Copa’

Sob o lema “A Copa já começou”, o técnico Tite  garantiu que a seleção brasileira não tiraria o pé do acelerador depois de ter garantido classificação ao Mundial da Rússia em 2018. Não houve falta de empenho, mas pouca inspiração, sobretudo na primeira etapa. A vitória por 2 a 0 sobre o Equador, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, pela 15ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas, foi garantida no segundo tempo, sem nenhum susto na defesa, e com gols de Paulinho e Philippe Coutinho.

O Brasil, assim, manteve 100% de aproveitamento em nove partidas sob o comando de Tite na competição. De quebra, conquistou o título simbólico das Eliminatórias com três rodadas de antecedência: com 36 pontos, não poderá ser alcançado pelo segundo colocado, a Colômbia, que tem 25. Uruguai, com 24 e Chile, com 23, completam a zona de classificação direta. A Argentina, também com 23, está na zona de repescagem, em 5º, a três rodadas do fim.

Apesar da boa fase da seleção, o alto preço dos ingressos (160 a 500 reis) espantou o público: 36.869 torcedores foram à arena gremista ver a seleção, quase 20.000 a menos que a capacidade total. A renda ultrapassou 7 milhões de reais. A torcida foi fria, assim como o clima na capital gaúcha, na maior parte do tempo, mas animou com a melhora da seleção na segunda etapa. O gremista Luan, que entrou na segunda etapa, foi o mais festejado, ao lado de Neymar, que teve atuação irregular, com jogadas de efeito, mas pouca efetividade e muito individualismo. O goleiro Alisson praticamente não tocou na bola.