Justiça prorroga prisão de Bernardin, dono do Correio Popular e mais 5 no caso do Ouro Verde

O Juiz da 4ª Vara Criminal de Campinas, Caio Ventosa Chaves, aceitou o pedido do Ministério Público de Campinas e prorrogou por mais cinco dias sete das oito prisões temporárias, que venciam nesta segunda, com relação aos detidos na 3º fase da Operação Ouro Verde, deflagrada na última quinta-feira.

Permanecem detidos o ex-Secretário de Assuntos Jurídicos, Sílvio Bernardin, que é advogado, e está em uma cela especial na cidade de Araraquara, os empresários Felipe Brás e Danilo Silveira, os funcionários da Vitale, Thiago Sampaio e Alcir Fernandes Pereira, e o lobista João Carlos da Silva Junior, o Juninho. 

O dono do Correio Popular, Sylvino de Godoy, também teve a prisão temporária prorrogada por mais 5 dias, mas segue internado com escolta policial no Hospital da PUC-Campinas, com problemas cardíacos, sem previsão de alta.

Como um dos alvos da operação, o médico radiologista Gustavo Khattar de Godoy, filho de Sylvino Godoy, foi preso apenas nesta segunda-feira, ainda não foi solicitada a prorrogação. Ele se apresentou no 2º Distrito Policial de Campinas e foi encaminhado para a cadeia anexa ao DP, onde estão outros seis presos.

Somente nessa fase, o MP apurou um desvio de cerca de R$ 2 milhões. O acumulado de valores que podem ter sido desviados da Saúde do município desde o início da operação chega a R$ 7 milhões.

FONTE: CBN CAMPINAS