Homem de 34 anos é executado com mais de 20 tiros

Um homem de 34 anos foi executado a tiros na tarde desta terça-feira (17) em Itapira. O crime aconteceu na Rua Dionísia Rocha Serra, na região do São Vicente, por volta das 15h15. Informações ainda extraoficiais dão conta de que mais de 20 tiros foram disparados.

A vítima foi identificada como Hideraldo Fernando Turato. Segundo informações preliminares colhidas junto à Polícia Civil, ele trafegava pela via quando um veículo GM/Omega ocupado por três homens surgiu em sentido contrário.

Um deles já abriu fogo, com pelo menos dois tiros acertando o vidro dianteiro do carro em que Turato estava. Ao menos um dos disparos já teria atingido a vítima. Depois, os criminosos colidiram contra a lateral do carro da vítima para que ela não tentasse deixar o local.

Ao contínuo, todos os ocupantes do carro desceram e atiraram várias vezes na vítima. Os tiros ecoaram pela pacata via e assustaram os moradores, que correram para ver o que estava acontecendo. Os executores abandonaram o carro fugiram a pé com sentido à Rodovia SP-147 (Itapira-Mogi Mirim), onde, segundo informações, outro veículo os aguardava.

O SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado, mas o homem morreu no local. Policiais militares e guardas municipais foram ao local e promoveram diligências na tentativa de localizar os agressores, mas até agora ninguém foi identificado. O local foi preservado até a chegada do IC (Instituto de Criminalística). O caso foi encaminhado à Delegacia de Polícia.

Dentro do carro da vítima havia cerca de R$ 1 mil em dinheiro. Testemunhas disseram que os assassinos queriam assaltar o homem. A reportagem apurou que, por enquanto, as investigações não seguem uma linha específica – como latrocínio ou execução, já que é preciso de mais dados e coleta de depoimentos que possam dar alguma pista sobre a motivação do crime, bem como chegar aos autores. A ocorrência foi registrada como homicídio qualificado. O corpo de Turato foi removido ao IML (Instituto Médico-Legal) de Mogi Guaçu (SP) para exames e posterior liberação à família.

Fonte: www.itapiranews.com.br